terça-feira, 28 de agosto de 2012

Nos arabescos do seu coração
                            ando a suceder-me qual mártir cristão
pelos seu umbrais,
por mais que seja estranho o seu sorriso
e também ess eencantamento
                                         de um amargo tênue, de um doce súbito
mas é essa a entrega amorosa
                                 entre urbes,mercados e edifícios
o inesperado da compreensão ilimitada
( mesmo que seja impalpável esse equilíbrio)

O inesperado da feiticeira graça desses obscenos olhos
Osíris,Ìsis,Hórus
o deslumbramento visionário na constelação de escombros
e ao sul o percurso por entre os ombros:
amor agridoce de devir contínuo
                                      de sedução apátrida
                                       qual transitórias e imaginárias salamandras.
                                                                                                  Dingo

Nenhum comentário: